Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escrevo, logo existo

Escrevo, logo existo

livrosbolso-billboard
28
Mai20

Não estamos todos no mesmo barco

Escrevo, logo existo

O governo enche a boca dos “sucessos de combate à pandemia” o problema é que não respondeu, nomeadamente às consequências sociais e económicas. Enchem a boca de elogios aos trabalhadores da função pública, mas estes continuam com as carreiras e a actualização dos salários congelados, de elogios estão os trabalhadores cheios, eles precisam é de dinheiro para viver melhor. Dinheiro este que lhes é devido e é o estado, é o governo do PS que lhes deve esse dinheiro.

A juventude é a que mais sofre com esta pandemia, se estes já se encontravam confrontados com a realidade da precariedade e da incerteza do futuro, hoje alguns terão de voltar para casa dos pais, ou atravessam graves problemas financeiros. Os primeiros a sofrer serão sempre os trabalhadores jovens, enquanto tivermos a precariedade como base do mundo do trabalho em Portugal. A precariedade é o flagelo do Século XXI e deve ser combatida como foi e é combatido o trabalho infantil.

Se a pandemia prova que a importância do SNS é central no funcionamento do estado português, também deixa em evidente que é necessário investir mais, criar melhores condições para responder não só ao COVID-19, como a todo o tipo de doenças e essa necessidade não se responde com a complementaridade que interessa aos privados, mas sim com o reforço do SNS que interessa aos trabalhadores e às populações.

A necessidade de reforçar os sindicatos (da CGTP-IN), de continuar a luta nunca foi tão importante. Onde nós vemos dificuldades e ataques, a direita vê oportunidades e potencialidades para aumentar a ofensiva e o recuo civilizacional dos direitos dos trabalhadores. Temos de estar alerta, tendo em conta que eles estão muito atentos e estão a tentar a todo o custo fazer o relógio da história andar para trás.

02
Mai20

Quarentena e o papa séries

Escrevo, logo existo

Nesta quarentena já papei tanta coisa em termos de séries. Acabei a série do Michael Jordan que retrata o seu percurso e a ascensão, desaires e declínio dos Chicago Bulls. Mais do que uma biografia do “Air” Jordan é a biografia da orquestra que foi esta dream team.

Série bem concebida, com imagens exclusivas, perfeita para quem gosta de basket, mas também para quem gosta de desporto. Sendo esta a dream team que contou com os melhores jogadores de todo o tempo. Podemos arriscar a dizer que o Jordan é o desportista mais trabalhador de sempre e quem sabe o mais talentoso. Vejam e tirem as vossas ilações

Outra série que comecei a ver foi o 1986, uma agradável experiência de viagem no tempo, uma série para todas as idades. A banda sonora é apaixonante, tornando Nuno Markl como responsável por trazer de novo aos palcos a Lena D´Água que andava desaparecida há muito tempo. A mistura do tempo com a juventude e os acontecimentos de é alucinante!

A “espia” também uma série portuguesa sobre os espiões ingleses presentes em Portugal durante a segunda guerra mundial, apesar de ser ficcionada a série demonstra a realidade do país vivida na altura, o medo e o receio de Portugal entrar para a guerra, mais a pseudo “neutralidade colaborativa” de Portugal fascista com a Alemanha nazi.

Abraço e entretenham-se, as duas últimas estão disponíveis na RTP Play à borla e a primeira na Netflix.

14
Abr20

Cada um com a sua estupidez no mesmo compasso

Escrevo, logo existo

A ignorância e a estupidez humana ficaram espelhadas na estupidez que aconteceu em alguns lares do Minho. Não é culpa dos velhotes, mas daquelas cabeças atrasadas e retardadas que têm um cérebro de ervilha que promoveram estes comportamentos.


Eu sou ateu e sei que deus não é médico nem tem a vacina até porque não existe. Eu respeito as crenças, mas não respeito estúpidos e aí também estão incluídos crentes estúpidos. Acreditem à vontade, mas não sejam estúpidos nem arrastem outros para a vossa estupidez.


Para acabar e antes de me arrebentar uma veia, aqui vem a pergunta mágica:
As autoridades já tomaram conta da ocorrência?

 

 

 

11
Abr20

Pessoas que se lixem e os hospitais privados

Escrevo, logo existo

Pelos vistos há pessoas que ainda não perceberam que não é para sair de casa. O que fazer?

Bem de repente lembro-me de várias soluções a primeira é leva-as a tribunal, que é o que está a ser feito. A outra solução seria dar-lhes com uma frigideira na cabeça, mas isso seria um pouco violento. Por último dizer-lhes “vá por ali em direção ao precipício, vai ver que não custa nada”, esta apesar de ser a mais fácil porque fariam sem questionar, seria incitamento à prática do suicídio. Bem a solução então é deixa-los ir à rua e que se lixem, assim seria apenas a seleção natural a funcionar, pois estes claramente não estão aptos a sobreviver.

E os Hospitais Privados que querem cobrar ao SNS por estarem a tratar pessoas com covid-19? Aqui dá para perceber bem a diferença entre o privado e o público. Lembrem-se em tempo de estado de emergência se o estado quiser pode meter-vos a funcionar só para o Covid-19, em requisição civil sem verem um tostão. Em tempos difíceis há sempre quem tente fazer dinheiro com a miséria dos outros. De facto, um verdadeiro exemplo do significado do conceito de Filhos da Truta.

Bem já destilei ódio que chegue(ou não). . .  Até ao próximo texto.

23
Mar20

Covilarvidades

Escrevo, logo existo

Então seus feios tudo bem?

Fartinhos de estar em casa hein? Que aborrecido que é ver séries da Netflix, filmes, ler e jogar que nem um porco PS4 não é? Que aborrecido de facto!
Tenham cuidado com o ecrã não o manchem e passem creme nívea nas mãos para não assar. Se forem solteiros e tiverem animais em casa, larguem os bichos eles não vos fizeram mal nenhum, vejam um filme que isso passa.
Bem não tenho mais alarvidades para dizer e lembrem-se cada vez que saírem de casa para ir a uma esplanada, ou café pensem na hipótese de se mandarem de um prédio de 20 andares antes de saírem.
Boa tarde e boas distâncias sociais!

P.s. não vejam youtubers.

15
Mar20

Coronahigiénicodependente

Escrevo, logo existo

- Dr. já não sei o que fazer, já recorri ao papel de cozinha, a guadarnapos e veja já cheguei ao cumulo de lavar o cu! Já não sei o que fazer!!! Nada me preenche tão bem o cu como o papel higiénico.

- Faça assim meta um dedo no cu, ou então use um pepino, é uma espécie d metadona. Aconselho a continuar a fazer psicoterapia.

- Vou-me matar!!!

 

E assim se resolve a situação do país, que tem uma pandemia muito grave, a estupidez humana!

13
Mar20

Covid-19 não suspende a ideologia e muito menos a memória

Escrevo, logo existo

O CDS o PSD e os seus broches à lapela (IL e Chega) estão a dizer que é necessário meter as ideologias à parte, é compreensivel tendo em conta que estes mesmos partidos são contra o serviço público de saúde e tomam medidas políticas para o describilizar e desmantelar. 

Costumam dizer que isso do serviço nacional de saúde é coisa de esquerda e têm razão é mesmo e isso é o que eles hoje não afirmam, mas afirmaram no passado e continuam a defende-lo.

Defender a dignidade do ser humano é uma questão ideológica e neste combate não estamos de facto do mesmo lado da barricada, pois é na prática que se vê quem defende as pessoas e a melhor forma de combater as pandemias e de dar qualidade de vida às pessoas é começar por defender o SNS e isto é o minimo.

Sei que dói, mas de facto tudo é ideologia e especialmente na defesa da dignidade humana. 

13
Mar20

Tudo o que é preciso para acabar com o Covid 19

Escrevo, logo existo

É simples: Acabar com a estupidez!! Se querem gelados comam-nos em casa, se querem cagar que nem uns animais, caguem à vontade, mas não se preocupem que o papel higiénico não vai acabar, se têm tempo livre e não sabe o que fazer, tenho duas sugestões excelentes TV e Internet, são umas engenhocas que inventaram à pouco tempo.

A DGS devia de contratar fiscais da estupidez em que actuavam nos supermercardos a dar chapadas a quem comprar coisas, para além do que é necessário para si. E outros que andariam de avioneta nas praias a largar bostas de vaca para o areal, para acertar nos estupidos.

Se querem combater a pandemia fiquem em casa, se não querem pratiquem o suicidio, mas não lixem os outros!

Plano Nacional Leitura-mrec

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D