Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escrevo, logo existo

Escrevo, logo existo

livrosbolso-billboard
17
Mai20

Isto não é uma piada

Escrevo, logo existo

Temos um bicho que ainda mexe, um ministro das finanças que mexe com um Primeiro Ministro, um Primeiro Ministro que mexe com o Presidente da República e o Quadros que mostra o bicho. O que poderá vir a seguir?O Manuel João Vieira se aparecer é a cereja no topo do bolo.

Isto está difícil, mas divertido para quem manda umas bocas (como eu), parece um filme dos Monty Python. O problema é a vida das pessoas e o ataque aos trabalhadores que não tem piada nenhuma e sobre isso quase ninguém fala, nem denúncia. 

 

05
Mai20

O imperialismo norte americano e as suas prioridades

Escrevo, logo existo

Muitas pessoas e também alguns comentadores, dizem e afirmam que o Trump é louco, vejamos o Trump não é louco, ele não é dono dos EUA. Os EUA como o país referência do imperialismo, sempre teve comportamentos bélicos e neocoloniais, afirmar que o problema é Trump, é personalizar um problema que é muito mais vasto e complexo, ilibando todos os seus antecessores que tiveram as mesmas práticas ou piores.

O que se tem passado no continente Americano tem sido um escândalo apoiado pelos países e organizações do costume, incluindo-se aqui Portugal e a UE. O contexto em que se dá este recente ataque à Venezuela, durante uma pandemia agrava ainda mais a situação, eu como cidadão português exijo que o meu país tome uma posição de repulsa em relação ao que se passou na Venezuela.

Sinceramente não me surpreende o silêncio da comunicação social em relação a este atentado à soberania venezuelana, recordemos dos pedidos de desculpas que a comunicação social e o estado português fez em relação ao conflito no Iraque. Os pedidos de desculpa à posteriori dos conflitos não evitam milhares de mortos, nem as desestabilizações dos países.

Necessitamos também de uma comunicação social que faça de facto jornalismo, mas para tal necessita de ser pluralista, dar voz a diferentes visões e não tomar partidos, para as pessoas na sua reflexão poderem fazer a sua escolha. O problema é que o imperialismo não perdoa e sabe que comunicação livre, resulta em cabeças livres e percebem muito facilmente quem é o inimigo comum que financia grupos terroristas, que fomenta guerras e desestabilizações nos diferentes países.

“Perante isto, é de perguntar: no terreno do capitalismo, que outro meio poderia haver a não ser a guerra, para eliminar a desproporção existente entre o desenvolvimento das forças produtivas e a acumulação de capital, por um lado, e, por outro lado, a partilha das colónias e das <<esferas de influência>> do capital financeiro?>>

Lenine, Imperialismo – Fase superior do capitalismo

03
Mai20

A mãe

Escrevo, logo existo

Neste dia da mãe venho deixar-vos um dos livros da minha vida, “A mãe” de Maximo Gorki, o escritor que não ganhou um nobel por ser comunista. Uma forma de escrita ímpar que demonstra a capacidade de resistência de um povo e a importância das mães na vida de cada jovem e no desenvolvimento e progresso da sociedade.

Destaco um episódio no livro, em que uma personagem não acreditava que era possível a revolução, note-se que passados uns anos aí estava a revolução mais avançada do mundo, a revolução dos sovietes com o contributo determinante de Lenine, que se comemora este ano o seu 150º aniversário.

Boas leituras e reflexões.

350x.jpg

Comprem através deste link para ajudar o blog:

https://www.wook.pt?a_aid=5e5ebe1da44e4

02
Mai20

Quarentena e o papa séries

Escrevo, logo existo

Nesta quarentena já papei tanta coisa em termos de séries. Acabei a série do Michael Jordan que retrata o seu percurso e a ascensão, desaires e declínio dos Chicago Bulls. Mais do que uma biografia do “Air” Jordan é a biografia da orquestra que foi esta dream team.

Série bem concebida, com imagens exclusivas, perfeita para quem gosta de basket, mas também para quem gosta de desporto. Sendo esta a dream team que contou com os melhores jogadores de todo o tempo. Podemos arriscar a dizer que o Jordan é o desportista mais trabalhador de sempre e quem sabe o mais talentoso. Vejam e tirem as vossas ilações

Outra série que comecei a ver foi o 1986, uma agradável experiência de viagem no tempo, uma série para todas as idades. A banda sonora é apaixonante, tornando Nuno Markl como responsável por trazer de novo aos palcos a Lena D´Água que andava desaparecida há muito tempo. A mistura do tempo com a juventude e os acontecimentos de é alucinante!

A “espia” também uma série portuguesa sobre os espiões ingleses presentes em Portugal durante a segunda guerra mundial, apesar de ser ficcionada a série demonstra a realidade do país vivida na altura, o medo e o receio de Portugal entrar para a guerra, mais a pseudo “neutralidade colaborativa” de Portugal fascista com a Alemanha nazi.

Abraço e entretenham-se, as duas últimas estão disponíveis na RTP Play à borla e a primeira na Netflix.

29
Abr20

Lixivia o remédio para a estupidez humana e viva o dia do trabalhador

Escrevo, logo existo

Pelos vistos o Trump é louco, mas não está sozinho, tendo em conta que houve muitos a ir parar à ala dos intoxicados por lixivia. Podemos assim concluir que há males que vêm por bem, tendo em conta que vão alguns como ele para o galheiro. Parece que estou a ser bruto, mas a estupidez tem limites até mesmo na sociedade “minimamente democrática”.

Perguntam vocês: “Como é que vais fazer a ponte para o 1º de maio?”

Fácil! Reparem que os mesmos que não gostam do 25 de abril, são os mesmos que consideram que o 1º de maio é coisa do passado, considerando o mesmo em relação à luta de classes. Não consideram que estão a um passo de beber lixivia?

Hoje os ataques aos trabalhadores são constantes com o pretexto da pandemia, a preocupação dos que estão a um passo de beber lixivia são as entidades abstratas, as “empresas” (como quem diz patrões) e abanam o fantasma do “diabo”.

Os “chuchas” que de vez em quando também dão uns toques, de lixivia no biberão, dizem que não vai existir “austeridade” esperemos que não, mas mais do que esperar, temos de lutar para que não tenham sequer a ideia de iniciar cortes, ou aumentar impostos.

Os trabalhadores só têm uma coisa com que contar, a sua própria organização de classe, a CGTP-IN, as sindicalizações têm aumentado ao ritmo dos ataques que estes trabalhadores têm sofrido. É muito importante que os trabalhadores percebam que é necessário ter SEMPRE sindicatos fortes e não apenas nesta altura, pois os bebedolas de lixivia andam sempre aí e estão bem organizados, precisamos de estar mais que eles para puxar-lhes o tapete.

Vá sindicalizem-se, organizem-se e lutem! Bom primeiro de maio!

 

26
Abr20

O 25 de abril arruma a casa

Escrevo, logo existo

Neste 25 de abril parece que alguns levaram com um balde de água fria pelos cornos. Os ditos "novos" partidos salazarentos com cheiro a mofo, levaram nos cornos de todos os democratas presentes na cerimónia. A comunicação social também teve de enfiar o barrete porque também andou durante muito tempo a alimentá-los, nomeadamente a Iniciativa Liberal, o Chega e não esquecer o CDS-PP que apesar de ser antigo apresentam-no sempre como uma coisa nova. 

Eles levaram nos cornos e não foi só do PCP mas de muitos outros, pois o 25 de abril, obriga a muitos a assentarem os pés no chão, caso contrário, o povo mais à frente pode penaliza-los e o Presidente da República oportunisticamente apercebeu-se disso e foi obrigado pela força das circunstâncias a tomar uma atitude.

O Cotrim, o (A)ventura e os deputados do CDS-PP se tivessem um buraco escondiam-se lá dentro. O populismo em Portugal não tem futuro porque o nosso povo tem bem presente e bem enraizado, na sua cultura e sentimento, os valores e a importância do 25 de abril e sempre que estes cágados levantam a cabeça, é determinante que todas as forças democratas se unam para lhes fazer baixar a garimpa. 

No que toca ao ataque aos fascistas e populistas é preciso ter cuidado, nesta guerra saber quando ignora-los também é determinante, pois não lhes podemos dar hipótese para brilharem e por vezes mais vale deixa-los a falar sozinhos e é também isso que alguns democratas necessitam de perceber. 

Continuemos e temos de perceber que as melhores armas são as políticas concretas de melhoria de condições de vida das populações que os deixa sem escapatória nenhuma e sem espaço político para aproveitarem.

 

23
Abr20

Playlist - Essencial 25 de abril ontem, hoje e sempre!

Escrevo, logo existo

O melhor guitarrista do mundo, guitarrista que nasce da luta, do sofrimento e da capacidade de resistência do seu povo. Se existe alma portuguesa, Carlos Paredes é o seu sinónimo.

A Tourada - Música escrita pelo grande Ary dos Santos, interpretada pelos igualmente grandes Naifa. Cantem sonhem, organizem-se e construam um mundo onde nunca mais seja possível acabar as canções.

"Esta música, cuja letra e música é da autoria colectiva dos presos políticos em Caxias é um dos hinos da Resistência ao fascismo, aqui cantada numa Festa Comício do PCP em 1977."

Ary dos Santos - Muitos Homens na Prisão 

Concerto complecto do incontornável Zeca!

O monstro intelectual José Barata Moura que é a prova viva de que as palavras têm muita força, se a luta acompanhar. Em relação à letra quem quiser que vista a casaca.

Os três cantos, Sérgio Godinho, José Mário Branco e Fausto. Concerto complecto! Aqui podemos recordar o nosso querido, complexo  e chatiado amigo José Mário Branco.

Bem está é muito especial, esta fala de uma terra que apesar de ser de sonho, ela já existe e chama-se Festa do Avante! Música dedicada por parte do Jorge Palma à grandiosa Festa do Avante, onde é convidado muitas vezes para ir cantar! É um dos hinos da Festa do Avante, a festa que é um exemplo bem vivo do que são os valores de abril em vida e que deviam de ser transportados para a realidade do país!

Aqui os cubanos Carlos Puebla com a sua maior humildade, que caracteriza aquele povo a agradecer os cravos vermelhos da liberdade, música que demonstra o  internacionalismo da nossa revolução.  

 

Por último acabo com uma música dedicada à nossa revolução por parte do nosso irmão Chico Buarque. Representando a importância que a nossa revolução teve a nível internacional e como influênciou e ajudou outros processos.

Um bom 25 de abril e não se esqueçam:

WhatsApp Image 2020-04-16 at 8.40.26 PM.jpeg

 

17
Abr20

Obrigado Cinemateca: "Lisboa, Crónica anedótica" de Leitão de Barros

Escrevo, logo existo

A Cinemateca está a realizar um ciclo de cinema online, referente às comemorações do 25 de abril, o primeiro filme que eu vi e que aparece em primeiro na lista é "Lisboa, Crónica anedótica" de Leitão de Barros. 

Um filme grande e um grande filme. Uma caricatura do que era Lisboa no passado (1930), de como a riqueza convivia com a miséria de modo indiferente. Um país, uma cidade de meninos descalços que nunca tiveram tempo, nem a oportunidade, de ser meninos. 

Uma obra que mais do que uma obra cinematográfica é também uma obra sociológica e antropológica, uma verdadeira viagem no tempo. 

Viaja também : http://www.cinemateca.pt/Cinemateca/Destaques/Filmes-para-ver-esta-semana-(1).aspx

25 de abril sempre! Fascismo nunca mais!

16
Abr20

Animais na cidade e no parlamento também temos alguns

Escrevo, logo existo

Tão belo que é ver as cidades a serem invadidas pelos animais nas cidades desocupadas de seres humanos, menos belo é quando eles invadem o parlamento português, nomeadamente o Hugo Almeida (CDS-PP) e o André Ventura (CHEGA), de facto as pessoas ficaram em casa e os animais saíram à rua.

O 25 de abril foi feito para o povo que respeita e defende a liberdade e não para "animais" que sempre desrespeitaram e lutaram contra o 25 de abril e a liberdade. A liberdade e a democracia é para quem a defende e não para quem defende o seu contrário. É impressionante quando estes animais intolerantes e populistas usam o termo "politicamente correcto", para serem politicamente incorrectos, os intolerantes não têm direito à tolerância!

Coitados dos bichos que não têm culpa nenhuma da anormalidade destes bichos, aos animais dignos de seu nome peço desculpa pela comparação, pois são dignos ao contrário dos segundos!

Viva o 25 de abril! Que se comemore na AR e em todas as casas!

 

Plano Nacional Leitura-mrec

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D