Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escrevo, logo existo

Escrevo, logo existo

30
Set19

Já não passo sem ti

Escrevo, logo existo
Sábado é o dia de quem tem direito a um sábado normal, de não ter nada para fazer. Dia em que muita gente se perde entre o planeamento de nada para fazer e a preguiça porque para nada fazer em condições, implica também alguma mestria, criatividade e coragem. Assim foi! Acordei vi o mail, vi as notícias. Comi uma taça de cereais e perto das 11h lá fui para a praia.
 
Sendo do distrito de Lisboa e não tendo carro, fui de transportes e ao contrário de muita "boa gente", não tenho nem tivemedo da minha gente e amor pelas nossas gentes é o que tenho.
 
Estamos em setembro e o calor aperta. A pergunta que mesurge é nada mais nada menos do que: O que é que me faz ir para a praia? Nada mais nada menos do que nadar, refrescar e praticar desporto.  Desta vez fui sozinho, pois sabes estar sozinho é das melhores coisas que um homem pode ter.
 
Chegado ao Cais do Sodré, aqui fui linha a dentro, impressionante a quantidade de Lisboetas que não usufruem desta riqueza à beira mar. A ponte 25 de abril, os barcos à vela, a "malta" da pesca, o senhor a passear o cão ... Enfim a vida a acontecer, haverá coisa mais bela? Sendo que a única coisa feia é que apenas se fala inglês e outras línguas estrangeiras e portugueses nem os vês, parece que temos as nossas coisas boaspara os outros. A pergunta impõe-se : Porque é que os alfacinhas não aproveitam as coisas boas da sua cidade, do seu distrito? darei a opinião no fim continuemos a disfrutar a viagem.
 
 
Para que tudo resulte, tudo trabalha para, na e a cidade. É uma verdadeira orquestra, é o "Comicon" a acontecer em Algés, ospolícias a trabalhar e o comboio a andar, com certeza uns mais felizes que outros, ou mais infelizes que outros (depende do estado de espírito do escritor ou do leitor). Não nos percamos e continuemos a disfrutar do que a viagem/vidatem para nos dar.
 
 
O estômago começa a roncar, e ainda no comboio, estandodesempregado, duas uma ou pouparei dinheiro, ou comerei um belo peixe, mais umavez nem vale a pena pensar nisso e não aproveitar esta viagem de comboio .Quando chegar lá, logo penso no que vou comer. . .
 
 
Chegando a Cascais, apercebo-me que o movimento é muito etal como no comboio está cheio de turistas, muito movimento, muitas esplanadas, jovens "voluntários" a receber as pessoas no comboio e os restaurantes a abarrotar. Lá mergulhei nas ruas, deparo-me com o preço da sardinha e foi mais fácil do que pensava, vamos às sardinhas! Sardinhas a 8,50€ o mais barato da ementa.
 
 
Depois do almoço como se diz por cá: é "tempo dedesmoer", e assim foi, meti-me a andar um bocadinho, chegando ao Vila Galée voltando para trás, de volta à baía de cascais percebi que o passeio não me deu coragem suficiente para enfrentar o mar gélido. Falta de coragem esta quenão foi ultrapassada pelo meu gosto pela natação, então concentrei-me, enchi os pulmões e dei um mergulho e vim de novo para a toalha.
 
 
Muita gente na praia, portugueses só me apercebo dos que estão a trabalhar, guardarão "remitentes um cheirinho de alecrim", pergunto-me será que um dia esse "tanto mar" será também para oportuguês comum navegar? Hoje ainda não é, pelo menos para todos...
 
 
E lá vim mais dois km´s a pé até ao Estoril, fazendo algum exercício físico pelo caminho, chegando ao Estoril, nada melhor do que um belo duche de água fria para "acalmar" os músculos e depois para o lanche uma banana para ajudar a contrariar as dores musculares, com uma boa dose de magnésio. Mais uma vez é continuar a apreciar o andar do tempo sem preocupações e mais uma vez disfrutar.
 
 
Duas cervejas a ver a bola no Picadelly, conversar comestranhos no bar. Pôr do sol em andamento no comboio. Haverá coisa mais bela? Será isto a verdade, o verdadeiro significado de viver?
 

 

P.S. Obrigado Passe, sem ti isto não era possível!
 
 




 

30
Set19

Mais simples do que parece

Escrevo, logo existo
A pergunta que se deve responder perante a suposta pergunta: " Qual é o tema do Blog?"

Pois... Pergunta difícil de responder e para a não tenho qualquer pretensão de responder. A única coisa que consigo responder e que para mim faz sentido, é que gosto de escrever, dá-me prazer, mesmo que para tal arte não tenha tanto engenho.

Respondo desta forma: O tema não sei, mas a função é divertir-me e escrever e quem quiser e estiver interessado, pode ler.

Até já...


Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D